29.12.07

Coisas que me Enchem o Saco Todo Final de Ano

  1. Shopping lotado e presente caro: Uma coisa que me infla os bagos todo mês de dezembro é o shopping-center lotado para as compras de final de ano. Resultado da política meramente consumista que tomou conta da ex-festa religiosa do Natal. O pior de tudo, porém, é o famoso dia 26 de dezembro, o Dia Mundial das Trocas dos Presentes de Natal que Não Serviram ou Ficaram Minúsculos por Causa da Ceia.
  2. Especial do Roberto Censurá-los: Todo dezembro também tem especial do Rei, o famoso Beto sem Perna, que canta as mesmas músicas que todo mundo decorou há mais de vinte anos e mesmo assim o pessoal se recusa a virar o disco. O mesmo show, o mesmo cantor, as mesmas canções, a mesma platéia, a mesma encheção de saco.
  3. Filmes da Tia Xoxa: Final de ano é garantia de mais um filme da provecta ex-apresentadora em atividade que segue a fórmula fracasso-de-crítica-e-sucesso-de-público (se bem que essa última parte anda falhando ultimamente). Todos eles andam seguindo a mesma história-da-mocinha-inocente-em-busca-do-seu-príncipe-encantado-que-está-em-busca-de-um-final-feliz (que, por sinal, nunca vem para os pobres pais que acompanham os filhos no cinema).
  4. Presentes clichês e-barrinha-ou repetidos: Sempre tem, na noite de 24 pra 25 de dezembro, aquele presentinho que você cansou de receber todo ano e mesmo assim aquela tia velha que veio do interior teima em te dar todo Natal. Aquela agenda do ano seguinte, aquele par de meias, aquela cueca estampada, aquele sorriso amarelo. E o pior é que isso é o tipo do presente que a gente quase nunca usa.
  5. Convidado bebum na ceia de Natal: Outra coisa que me faz ficar com filariose escrotal toda noite de Natal é aquele vizinho chato pra cacete, que mesmo assim, sabe-se lá o porquê, foi convidado pra ceia e acaba por encher a cara, fazendo um strip-tease sem ninguém pedir e passando a mão na bunda de quem ele enxergar pela frente. No ano seguinte, ele acaba sempre sendo convidado de novo.
  6. Piriri das tardes de 25 de dezembro e 1° de janeiro: Essa é a pior parte das piores partes do mês de dezembro. A gente come tanta coisa inútil na ceia de Natal e no banquete de Réveillon que acaba com uma puta dor de barriga. Haja sal de fruta e lavagem estomacal. Parece aquela piada do português que se lamenta que cairá no chão após avistar uma pedra ali em frente: a gente não quer fazer, mas acaba fazendo.
  7. Resoluções de Ano Novo: Quer, há anos, parar de fumar, emagrecer alguns quilinhos e ter coragem pra pegar alguém e não consegue? Não se preocupe: é pra isso que serve o ano de dezembro! Pra gente fazer aquelas malditas resoluções de Ano Novo que a gente acaba não fazendo enquanto o Ano "Novo" segue envelhecendo durante 365 ou 366 dias. É só não se preocupar: no mês de dezembro, a gente faz tudo de novo.

E um feliz Ano Novo pra todo mundo - mesmo porque o Ano Velho foi uma verdadeira bosta.

14.12.07

A CPMF Vai pra Vala. E, pelo Visto, o Padreco-Garotinho Também

Para alegria e júbilo das gentes de bem e cagaço daqueles que querem estropiar nossas paciências, juntei inspiração suficiente para voltar a escrever neste espacinho só meu e que ninguém haverá de sacanear - mesmo porque a Internet ainda é livre por estas bandas de Pindorama.

Aproveito pra dar graças aos céus por causa do fim da CPMF, a Colaboração Pertinente para Malucos e Fudidos, no fim do mês e do ano. Mesmo que os hospitais estejam mais perdidos do que já estão, será garantido que teremos mais dindim no final das contas - e nada garantiria que a grana iria pra saúde. Se bem que o povão vai pagar o pato, só de sacanagem desse governo vingativo, como tantos que houve na-história-deste-país.

Falando em fim, que fim de festa esse do bispo esfaimado, o faquir de batina, o padreco-Garotinho. Não querer que um rio mude de lugar, eu até entendo. Agora, não comer porra nenhuma só por causa disso é absolutamente ridículo. Da outra vez, o futuro governador da Bahia, o homem da Fonte Nova (que era ministro de qualquer coisa na época), deu uma negociada e uma maria-mole pra forrar o bucho do infeliz. Agora, nem copo d'água dá jeito. Só falta ele querer que o governo mude todos os seus planos só por causa de alguém desimportante como ele. Isso, sim, é que é pretensão. Ele poderia até ser Papa no futuro. Agora, quer a canonização automática.